Morangos com Açúcar

2007-02-26

Teresa Rolla a má-da-fita da IV série dos Morangos com Açúcar

Teresa Rolla interpreta Tânia, a má-da-fita da IV série dos ‘Morangos com Açúcar’. Natural de Gaia, a jovem de 20 anos, falou a ‘O Gaiense’ das mudanças na sua vida, desde que começou a aparecer na série mais vista da televisão portuguesa.

Qual foi a tua reacção, quando soubeste que tinhas sido escolhida para integrar o elenco dos ‘Morangos com Açúcar’?

Fiquei em estado de choque, porque foi tudo muito rápido. Fiz o casting na quarta-feira, disseram-me, na sexta, que tinha sido escolhida e que na segunda tinha que ir para Lisboa para começar a gravar. Aconteceu tudo num espaço de cinco dias. Nem fiquei extra-feliz, nem desapontada. Não estava à espera. Quando fui ao casting achei que não ia ter nenhuma repercussão... era uma num milhão. Foi muito inesperado.

Quando ficaste a conhecer a tua personagem, que é a vilã da história, tiveste algum receio?

Fiquei um bocadinho reticente, porque pensei que os miúdos não iam distinguir o real da ficção e que na rua fosse ter abordagens menos boas. Mas não. Estou a adorar fazer a personagem, a Tânia é diferente, ela faz trinta por uma linha, coisas que eu não faria, e dá gozo. Ela é completamente diferente de mim.

A adaptação a Lisboa Como disseste foi tudo muito rápido... Como foi a tua adaptação a Lisboa?

Os primeiros tempos não foram facéis, porque não conhecia ninguém, conhecia mal a cidade, que é enorme e não tem nada haver com Gaia... foi complicado, mas é uma questão de hábito.

G - Quais foram as diferenças que mais sentiste?

TR - Além da cidade ser muito maior, os horários tiveram que mudar. Por outro lado, consegues conhecer muito mais gente, mas não fazes amigos. Há mais facilidades em contacto, no entanto é difícil criar laços, porque não há muito tempo é uma cidade muito cosmopolita.

Do que é que sentes mais saudades?

TR - Sem dúvida da família e dos amigos.

Qual foi a reacção dos teus pais, quando souberam que tinhas que te mudar para Lisboa?

TR - Nunca tinha morado sozinha e foi um desafio. Eles apoiaram-me, porque era aquilo que queria.

O futuro

G - Ser actriz fazia parte dos teus planos?

TR - O meu pai já tinha feito alguns trabalhos neste campo e sempre achei que era uma meta muito longínqua, até porque aqui no Porto não há nem metade do mercado em comparação com Lisboa e, para mim, não era muito fácil chegar lá, por isso nunca me debrucei muito sobre o assunto.

Como foi teres passado de pessoa anónima a figura pública?

TR - Os primeiros momentos nem se notou muito. Agora, as pessoas já me reconhecem na rua. Nunca tive nenhum problema, nem nenhuma situação menos agradável. É chato às vezes estarmos no café e ouvires as pessoas à tua volta a murmurar e olhar para ti, mas isso é o reverso da medalha. Quem vai para televisão sabe o que espera.

E agora... vais continuar nos ‘Morangos’?

TR - Gostava de continuar e poder fazer a série de Verão, mas ainda não sei nada. Depende de nós, mas também não depende, não sei que rumo vão dar à história da série.

E quanto ao futuro?

Ainda não sei... é tudo muito inseguro.

Querias continuar na área da representação?

Sim, gostava que não acabasse nos ‘Morangos’... vamos ver.

O curso de Comunicação Social E os estudos?

Tive que congelar a minha matrícula. Estava no segundo ano de Comunicação Social na Universidade Fernando Pessoa, mas era impossível estar em Lisboa a gravar e estudar no Porto. Mas quero mesmo acabar o curso.

Se pudesses que fim darias à Tânia?

TR - Queria que ela ‘desse com a cabeça na parede’ percebesse que uma pessoa não pode ser feliz assim, isso não significa que ela desse uma reviravolta, porque ninguém muda radicalmente, mas mostrando que assim ninguém chega a lado nenhum.

Costumas ver os episódios e auto-avaliar o teu trabalho?

TR - Nem por isso. Quando estou a trabalhar não dá para ver, quando não estou, hora a que dá não é a melhor. No entanto, se vir uma cena estou atenta aos pormenores.

PESSOAL

Actor - Jude Law Actriz - Charlize Theron Filme - ‘Doce Novembro’ Livro - ‘Quando Nietzche chorou’, de Irvin D. Yalom Banda - U2 Ídolo - Bono Vox Perfume - ‘Ralph’, de Ralph Lauren Viagem de Sonho - Nova Iorque Marca de roupa - Não ligo muito a marcas Prato preferido - toda a cozinha italiana desde pizzas até às massas Clube - FC Porto Signo - Touro

UMA ACTRIZ SOLIDÁRIA

Enquanto figura pública, Teresa Rolla não hesita em dar a cara por iniciativas de carácter social. Ainda na última edição do PortugalFashion, a actriz desfilou pelo ‘Moda’r Mentalidades’ ao lado de uma pessoa com deficiência e cujo objectivo era alertar a sociedade para a igualdade entre as pessoas. “Acho que temos que apoiar determinados incentivos, porque as figuras públicas conseguem mudar as pessoas. Além disso, não custa nada participar nessas iniciativas”.
Fonte: O Gaiense

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial